O teu cão e o carro: Segurança e conselhos – Parte II

O teu cão e o carro: Segurança e conselhos – Parte II

Em relação a como devemos levar o cão dentro do carro, a Direção-Geral de Tráfego proíbe que os animais fiquem soltos no carro ou no banco dianteiro, já que podem representar um perigo para a condução.

Em relação a como devemos levar o cão dentro do carro, a Direção-Geral de Tráfego proíbe que os animais fiquem soltos no carro ou no banco dianteiro, já que podem representar um perigo para a condução. A legislação atual não indica especificamente como devemos proteger o cão dentro do carro. No mercado existem diferentes sistemas para facilitar um transporte seguro.

    • Redes. Costumam ser de nylon e agarram-se a quatro pontos fixos do carro. Há que comprovar se o tamanho é adequado para o carro. É preciso também ter cuidado se a rede é elástica ou impede que o animal se mexa, mas no caso de impacto, não retém o cão.
    • Barreiras separadoras. É uma estrutura de barras horizontais e verticais que são adaptadas à altura e largura do cão, impedindo que o animal vá à zona dos passageiros. São fáceis de instalar (ficam fixas por pressão) e retêm melhor o animal, mas em muitas ocasiões não aguenta o empurro de um cão grande.
    • Arnês de segurança. É uma trela que por um lado se engancha ao peitoral do cão e, por outro, tem uma lingueta que encaixa na trava do cinto de segurança. Em colisões a pouca velocidade são eficazes.
    • Barreiras sob medida. São unas grelhas, normalmente metálicas, feitas à medida para cada modelo de viatura. Geralmente, são realizadas para reter qualquer tipo de carga, mas atuam perfeitamente no caso dos animais (um animal assemelha-se a uma carga).

 

  • Caixas de transporte. São uma boa opção, reduzem a mobilidade do animal e podem ser colocadas no lugar adequado. É conveniente colocá-las junto à barreira ou elemento de retenção ou então na zona de carga, junto ao encosto do banco traseiro. Muitas têm umas aberturas para segurar com o cinto de segurança.

 

Em nenhum caso há que transportar o cão na bagageira fechada em carros tipo berlina, que uma possível má combustão do carro pode provocar uma tragédia, além de que o cão precisa ventilação para transpirar.

Ricardo Antón. Educador e treinador de cães.

Deixe um comentário