Artrose em cães

Artrose em cães

A osteoartrose (ou artrite) é uma doença degenerativa de evolução lenta que afeta as articulações móveis. Sempre na união entre dois ossos existe uma superfície muito lisa sobre cada um deles que é a cartilagem articular. A sua função é proteger a superfície dos ossos para que não haja atrito entre si, além de fazer com que a superfície irregular de um osso encaixe perfeitamente com a do outro.

Na maioria dos casos a artrose em cães acontece como sequela de golpes, fraturas ou forças anormais aplicadas sobre uma cartilagem normal ou por deformação de cartilagens normais, como é o caso das raças com patas curtas (acondroplásicas). As células que compõem a cartilagem articular começam a danificar-se gradualmente, alterando a matriz do mesmo. Isto dá origem a um círculo vicioso que não pode deter-se e que termina por destruir a cartilagem e provocar deformações no osso subjacente e inflamação de todas as estruturas que compõem e rodeiam uma articulação (membrana sinovial, cápsula articular, ligamentos, músculos e tendões). Todas estas mudanças dão como resultado a aparição de dor.

Sintomas de artrose em cães

A dor crônica produz em primeira instância manqueira e dificuldade para caminhar ou levantar-se, mas também mal-estar geral no animal. Com frequência podem ser observadas mudanças de conduta, perda de apetite, dificuldade para dormir, perda de interesse pelas atividades quotidianas, depressão e stress, que ao mesmo tempo diminui as defesas. É raro que um cão com artrite crónica se queixe, portanto, deves estar atento a outros tipos de demonstrações de dor.

A artrose em cães pode ser vista com frequência em animais idosos, mas muitos começam com os primeiros sintomas a partir dos 6 anos de idade. Percebe-se rigidez nos movimentos, sobretudo depois de um período de repouso (pela manhã) e durante o dia parece melhorar à medida que o animal “aquece o corpo”. Com o avanço da doença, a rigidez permanece. O cão pode deixar de subir escadas ou de saltar ao sofá, tem dificuldade para ficar de pé nas patas traseiras ou espera ajuda para entrar no carro. Muito donos acreditam que isto é produto da velhice e não associam com dor.

Mesmo que não seja possível deter o avanço da doença, é possível aliviar a dor dos cães com artrose. O cão sem dor, se movimenta mais, e ao realizar mais exercício mantém melhor a sua massa muscular e as suas articulações em movimento, o que combate a rigidez. Além do mais, se encontra melhor e participa novamente de brincadeiras e outras atividades que tinha abandonado. Em casos de artrose mais avançada não é possível eliminar a dor, mas sim diminuir em maior ou menor grau.

Tratamento da artrose em cães

O seguimento médico desta doença abarca vários pontos:

Dieta: é necessário modificar a dieta em cães com excesso de peso para conseguir uma redução do mesmo. Assim como acontece com as pessoas, o excesso de peso aumenta a pressão sobre as articulações afetadas e piora a situação. Também é muito importante a composição da dieta durante o crescimento, em especial em raças grandes e gigantes. Em estas raças aconselha-se utilizar uma ração especial para elas, pois o seu crescimento tão acelerado predispõe o surgimento de problemas osteoarticulares.

Exercício:  é fundamental que os cães com artrose realizem um exercício moderado uma vez que tenham conseguido diminuir a dor. O ideal é caminhar ou nadar todos os dias. A natação é um exercício excelente, mas não muitos cães desfrutam da água; no geral ficam assustados a apenas querem sair da piscina. Além do mais é necessário ter o cuidado de que não apanhem frio, por tanto deves secá-lo depois do exercício. A caminhada é mais simples; começa com 10 minutos e, à medida que o cão melhora, aumenta aos poucos o tempo, sem exigir nunca ao animal e deixando que descanse se fosse necessário.

Agentes protetores da cartilagem: há uma grande oferta destes produtos para a artrose em cães, seja em comprimidos ou injetáveis. Os mais usados contêm glucosamina e sulfato de condroitina. Estas substâncias são totalmente inofensivas e têm um efeito anti-inflamatório e analgésico muito importante nas etapas iniciais da doença, quando ainda há cartilagem normal. Podem ser utilizadas como terapia preventiva em cachorros com tendência à displasia coxofemoral.

Medicamentos para a artrose em cães que controlam a dor: os mais utilizados são os anti-inflamatórios não esteroides. São drogas do tipo da aspirina, e há muitas diferentes. Todas elas podem ter efeitos secundários a nível do estômago e intestinos, os rins e o fígado e não é conveniente usá-las em tratamentos prolongados. A cortisona é um poderoso anti-inflamatórios, mas produz muitos efeitos adversos e deve ser usada com cautela e em forma esporádica. Para usar qualquer um destes medicamentos precisas consultar com um veterinário.

Cirurgia: há artroses em cães, como a displasia coxofemoral, que respondem muito bem à cirurgia, inclusive podem colocar prótese de quadril nos cães. Também se recomenda a cirurgia nos casos de rotura de ligamentos cruzados do joelho. Cada caso deve ser avaliado e indicar-se-á a cirurgia apenas se há uma técnica apropriada desenvolvida para essa articulação.

Há outras alternativas para a artrite em cães como a fisioterapia e a acupuntura. Em ambos os casos se obtêm importantes melhorias, às vezes mais do que com os analgésicos. Pergunta ao teu veterinário se pode recomendar um profissional que realize esses tratamentos. São bons em qualquer idade, mas principalmente nos cães mais velhos, pois para eles costumam estar contraindicados os anti-inflamatórios.

Deixe um comentário