Gestação canina – Parte II

Se finalmente a nossa cadela está grávida devemos ter cuidados específicos durante todo o processo. O nosso veterinário será quem nos dará os melhores conselhos, segundo cada caso concreto.

Cuidados durante o período de gestação

A longo da gestação realiza-se um seguimento adequado mediante ecografias e/ou radiografias para garantir que, em todo momento, a cadela e os seus cachorros estão bem, assim como para saber o número de cachorros que nascerão nessa ninhada. Saber quantos cachorros a mãe irá ter é extremadamente importante já que quando o parto acontecer devemos estar seguros de que nascem todos os cachorros e nenhum fica dentro, o que poderia provocar complicações.

Com relação à alimentação da cadela gestante, desde o início deve ser adaptada ao seu novo estado e a manterá durante toda a gravidez para que a cadela possa estar em ótimas condições para criar os seus cachorros e suprir o desgaste que supõe para ela alimentá-los até o destete. É comum oferecer ração para cachorros, mas será o nosso veterinário quem nos dê as pautas a seguir nesse aspecto, nos recomendará tanto a alimentação mais adequada como as proporções em que devemos administrá-la, assim como aconselhar algum suplemento específico em caso de considerar oportuno. As rações atuais costumam proporcionar os nutrientes adequados para que uma cadela em bom estado de saúde desenvolva o seu processo de gestação sem necessidade de ter de complementá-la com suplementos alimentares. É muito importante não aportar nenhum suplemento multivitamínico ou nutricional sem consultar com o nosso veterinário; tão nocivo é para a saúde o déficit de cálcio e/ou vitaminas como o seu excesso.

Durante todo o processo é necessário proporcionar um entorno tranquilo, evitando as situações estressantes como por exemplo visitas em casa. Devemos também manter a nossa cadela em boas condições físicas e facilitar exercício regular. Os exercícios intensos ou bruscos devem ser deixados de lado durante toda esta etapa, mas deve realizar diariamente exercício moderado para prevenir a obesidade e manter o seu tónus muscular.

A duração da gestação de uma cadela oscila entre os 58 e os 63 dias, concretizar uma data com exatidão não é possível já que existe uma diferença entre a data do acasalamento com relação à data real na qual a cadela foi fecundada. Em todo o caso, nunca deveria ultrapassar os 65 dias, e se os ultrapassasse devemos informar imediatamente ao nosso veterinário.

Riscos e inconvenientes da gravidez

Uma gravidez sempre deveria ser programada, e o único motivo pelo que poderiam considerar planejar a gestação da nossa cadela é porque está integrada em um programa de criação, isto é, quando a nossa companheira tem sido selecionada como reprodutora no interesse de contribuir ou manter determinadas caraterísticas morfológicas da raça. Se este é o caso da tua cadela, reunirá de certeza uma série de características muito concretas como:

  • Desfrutar de uma excelente saúde, verificada por diversas provas veterinárias que confirmam que a nossa cadela está em ótimas condições para desenvolver uma gestação e parto, e que não é transmissora de doenças congénitas que afetariam os cachorros e as suas gerações posteriores.
  • Quando a sua morfologia é adequada e desejável com relação ao estabelecido pelo padrão da raça à que pertence.

Infelizmente, em muitas ocasiões não se têm em consideração esses pontos tão importantes, e muitos donos não se responsabilizam pelo controlo de natalidade dos seus cães; em alguns casos por desleixo ou falta de interesse, em outros por argumentos como que “têm muita vontade da sua cadelinha ser mãe”. A realidade é que as estatísticas indicam que quase 90% dos cachorros que nascem produto de cruzamentos fortuitos ou da “procura de namorado/a”, acabam sendo abandonados a curto, médio ou longo prazo. De certeza estas cifras nos parecem totalmente exorbitantes e que não achamos que não podem corresponder com a realidade, mas basta com dedicar um pouco de tempo para visitar os diferentes centros de recolhida de animais (protetoras e canis municipais) da nossa zona para ver a grande quantidade de cães que passarão o restante da sua vida detrás das grades, à espera de uma segunda oportunidade que, de certeza, nunca chegará e quantos, a cada ano, serão sacrificados simplesmente porque sobram, porque ninguém os quer, e isto se deve a uma regra matemática muito simples: o número de cães abandonados é muito superior ao número de pessoas responsáveis que desejam incorporar um cão a uma família, todos os que sobram, que são muitíssimos, estamos a fala de milhares, terminarão passando toda a sua vida em uma jaula ou sacrificados para deixar vagas para os novos que chegam.

Além do mais, existem diversas lendas urbanas e mitos sem fundamento sobre a gestação das cadelas que fazem com que cada ano nasçam milhares de cães que não terão a oportunidade de envelhecer e serem felizes junto às suas famílias iniciais.

  • Não é bom que a cadela crie pelo menos uma vez na vida.
  • Não é verdade que com a gravidez podem ser prevenidos determinados problemas de saúde (tumores e câncer associado ao sistema reprodutivo da cadela).
  • Não melhora o carácter da cadela nem a tranquiliza.

Nada do anteriormente citado é verdade, pelo contrário, a realidade é que nenhuma fêmea, de nenhuma espécie, “precisa” ser mãe, já que a gestação e o parto não beneficiam de forma alguma o caráter da fêmea, o instinto reprodutor apenas tem o objetivo de perpetuar a espécie. Trata-se de um processo extremamente exaustivo, e que pode significar, em alguns casos, complicações de menor ou maior risco para a saúde da nossa cadela, já que, como no caso das mulheres, a gestação e o parto são suscetíveis a ter complicações (cesariana, hemorragias, infecções, distocias, etc…).

A gestação tampouco modificará o caráter e o comportamento da tua cadela se apresenta condutas inadequadas, imaturas, agressivas, etc… Em todo o caso, se a tua cadela não está equilibrada e bem socializada, uma gravidez e parto não só não solucionam esses problemas, mas também podem potenciar esses maus comportamentos ou gerar o surgimento de outros novos iguais de inadequados ou piores. Se a tua cadela tem problemas de comportamento precisarás de um adestrador ou etólogo que te ensine a entender qual é o problema e assim poder educá-la corretamente, a solução não é uma gestação nem um parto. Além do mais, é muito importante ter em conta que se a tua cadela não apresenta um carácter equilibrado e tem cachorros, é muito provável que estes desenvolvam os mesmos problemas de comportamento.

As cadelas não precisam “namorado”, precisam ter uma família responsável que cuide delas, as proteja, respeite, eduque, socialize e exercite, que as considere mais um membro da família. Fazer com que enfrentem uma gravidez é um risco totalmente desnecessário. As cadelas não desfrutam da maternidade em absoluto, e mais ainda, passados poucos meses nem reconhecem os seus cachorros como filhos seus, os verão apenas como outros cães.

Para evitar possíveis acidentes e uma gravidez fortuita, como no caso de cadelas que convivem com machos, cadelas que fogem facilmente ou se há possibilidade de que outros cães machos invadam a propriedade atraídos pelo cio, podes optar pela esterilização para evitar ninhadas indesejadas.

« Anterior

Necessidades específicas dos cães idosos – Parte II

Animais de estimação exóticos: qual é o melhor?

Seguinte »

Deixe um comentário

¿Necesitas hacer una consulta veterinaria? Recuerda que tu veterinario de confianza es siempre el mejor profesional para ayudarte con la salud y el cuidado de tu mascota. Mas, da Tiendanimal , queremos sempre oferecer o melhor e, para isso, temos uma equipe de especialistas que o aconselharão através do Serviço de Consulta Veterinária em nosso site.