Parasitas em cães e gatos

,

Chega a primavera e, com os primeiros sinais de calor, reaparecem algumas pragas que atacam os nossos cães e gatos ano após ano. É melhor estares preparado para que não te apanhem de surpresa e assim evitas problemas e visitas desnecessárias ao veterinário. Além disso, alguns deles não são tão inocentes e podem chegar a provocar a morte do animal.

PULGAS

As larvas e pupas das pulgas sobrevivem ao inverno inteiro à espera das condições favoráveis para se reproduzirem. Com a primavera e o verão, chega o calor e os insetos começam a se proliferar rapidamente, infestando praças, jardins e qualquer lugar onde os animais habitam, inclusive as nossas casas.

As pulgas fazem parte dos parasitas em cães e gatos mais comuns. Os animais que são alérgicos às picadas de pulgas começam a se coçar com desespero. Nos cães, as áreas do corpo que costumam se magoar primeiro são a anca, a parte posterior das coxas e a barriga, enquanto nos gatos costumam ser a cruz e a parte lombar. Sem nenhum tratamento, as lesões expandem-se a outras partes do corpo e podem se infectar.

A única solução definitiva é manter o paciente e o seu ambiente livres de pulgas.

Já faz alguns anos que é muito simples repelir os parasitas em cães e gatos graças às pipetas antipulgas, que são colocadas sobre a parte lombar e mantêm o animal protegido entre um e três meses, conforme a marca do produto e o grau de infestação do ambiente onde vive. Tem muito cuidado se tens um gato, porque nem todos os produtos são seguros para eles; somente usa os que dizem ser especificamente para gatos. Em casos de contaminações muito fortes, pode-se optar por usar algum inseticida para eliminar as pulgas do lugar onde vive o animal.

Na Tiendanimal podes encontrar diferentes desinfetantes e inseticidas que agem contra os parasitas em cães e gatos. Há para diluir em água e aplicar com um pano ou spray e outros que são aerossóis com bomba que se colocam no centro da estância, ativas a bomba e abandonas o ambiente até que o frasco fique completamente vazio. Depois deixas o ambiente fechado durante duas horas e ventilas. Sempre segue atentamente as instruções do fabricante quando usares um produto tóxico.

Se tiveres um cão ou gato no teu apartamento e vais de férias levando-o contigo, certifica-te de que não restam pulgas em casa, pois quando voltares haverá tantas que não lhes importará picar a ti ou qualquer animal de sangue quente que entrar contigo.

CARRAÇAS

As carraças são outro tipo de parasitas em cães e gatos mais resistentes aos venenos, mas como precisam estar sobre o animal para se alimentar, são mais fáceis de eliminar. Geralmente aparecem em épocas delimitadas, como no início do verão, mas isso varia conforme a região onde vives.

Costumam atacar a cara e as patas dos cães, mas podem ser encontradas em qualquer parte do corpo. Um cachorro pequeno ou um cão idoso podem ficar muito debilitados se tiverem um grande número de carraças. Elas grudam na pele com uns ganchos fortes e chupam o sangue até triplicar ou quadruplicar o seu tamanho, depois se soltam e caem no chão para pôr os seus ovos. Esses parasitas em cães e gatos variam no tamanho, cor e ciclo de vida, de acordo com a espécie.

Existem no mercado pipetas que servem contra esses ácaros e que podem ser colocadas sobre o corpo uma vez ao mês. Também podem ser usados coleiras com inseticida que controlam esses desagradáveis parasitas. Se tiveres muitos cães, há outros medicamentos mais económicos que são usados em forma de banho e devem ser repetidos a cada uma ou duas semanas conforme as indicações do fabricante. Costumam ser tóxicos e deves ter cuidado ao usá-los.  

 

PARASITAS INTERNOS

Este tipo de parasitas em cães e gatos pode aparecer em qualquer época do ano, ainda que é na primavera quando as larvas e ovos que estão no chão encontram as condições ideais de humidade e temperatura para se desenvolverem com mais facilidade. Em qualquer lugar com relva aumenta gradualmente o número de larvas infecciosas, o que torna mais fácil a transmissão aos animais. Depois, durante o calor intenso do verão, as larvas ressecam-se e é mais difícil que sobrevivam.

Mesmo ao desparasitar os nossos animais de estimação periodicamente com algum dos medicamentos desparasitantes que existem para esse fim, é conveniente que se faça alguma vez também durante a primavera, assim evitaremos que o número de parasitas aumente demais. Se todos nós agíssemos individualmente contra os parasitas em cães e gatos, conseguiríamos diminuir em grande medida a contaminação dos espaços verdes e, portanto, o risco de infestação dos animais de estimação.

 

SARNA

Os ácaros que provocam essa doença vivem somente sobre o corpo de cães e gatos e são bastante específicos para cada espécie, sendo muito difícil o contágio de uma a outra. Transmite-se pelo contato direto com um animal infectado ou com as suas roupas, cama ou mantas. Os animais doentes têm uma comichão muito intensa e coçam-se constantemente, provocando em si mesmos depilações extensas e feridas de diferentes níveis de gravidade.

Este tipo de parasitas em cães produz sarna sarcóptica e ataca principalmente as pontas das orelhas e os cotovelos, mas depois se estendem se não recebe tratamento. Há outro ácaro que provoca sarna só nos ouvidos; o animal sacode a cabeça com desespero e produz uma secreção abundante com cheiro forte. Esta ocorre normalmente em cachorros. Nos gatos também existem dois tipos de ácaros que produzem sintomas parecidos aos dos cães.

Fala-se de muitos métodos caseiros para curá-la, mas a mais rápida e efetiva é a aplicação de um medicamento injetável que o teu veterinário dever-te-á indicar. Para eliminar esses parasitas em cães e gatos, são necessárias entre duas e três aplicações; além do mais, pode ser necessário um tratamento com antibióticos ou banhos se as lesões da pele estão infectadas. No caso da sarna não é necessário fazer nenhuma fumigação ou tratamento no ambiente. Se tiveres outros animais de estimação em contato com o que está doente, consulta o teu veterinário se deves injetar-lhes também o tratamento para acabar com a propagação da doença.

 

LEISHMANIOSE

Essa doença é transmitida somente por mosquitos, portanto há mais possibilidades de contágio em épocas de calor. Geralmente a sua incidência é maior em zonas suburbanas ou áreas com vegetação, como parques e praças, e os mosquitos transmissores alimentam-se durante o entardecer e à noite. Para combater esses parasitas em cães, podem-se utilizar produtos em spray, mas o mais efetivo atualmente é uma coleira com deltametrina que tem uma efetividade de 95% como repelente de mosquitos. Ao utilizar uma coleira dessas e evitar estar fora durante a noite, o teu animal de estimação estará bastante bem protegido contra essa doença, que uma vez adquirida não tem cura. Também é conveniente usar telas contra mosquitos em portas e janelas nas zonas que são endémicas para leishmaniose.

Os primeiros sinais clínicos visíveis são perda de pelo na cara, ao redor dos olhos, orelhas e boca. Depois o parasita invade o sangue e os rins, provocando uma insuficiência se não recebe tratamento e controlos periódicos para a vida inteira. Se vives numa zona endémica, é importante que o teu veterinário faça um check-up anual ao teu cão para detectar a doença em estágio inicial e poder controlar melhor os sintomas.

 

FILARIOSE

Este tipo de parasita em cães e gatos provoca a chamada “doença do verme de coração”, também transmitida por mosquitos. A sua incidência é maior em regiões próximas aos rios onde há mais mosquitos, mas está a expandir-se a outras regiões devido às viagens de animais de estimação a ou desde zonas endémicas e por causa da mudança climática global que prolonga as temporadas cálidas e húmidas. Neste caso, existem produtos muito efetivos para a sua prevenção que são administrados uma vez ao mês durante a época de mosquitos.

O teu veterinário indicar-te-á, de acordo com onde viveres, em que meses do ano é necessário usá-los, já que em algumas regiões cálidas ou endémicas convém administrá-los o ano inteiro sem interrupção. Alguns dos produtos para esse tipo de parasitas em cães combinam também tratamento contra outros parasitas internos e contra pulgas no mesmo comprimido.

A filariose é uma doença grave e potencialmente mortal nos cães. Os vermes adultos, que são muito grandes, alojam-se na artéria direita do coração, obstruindo o fluxo normal de sangue. O coração aumenta de tamanho e debilita-se até que ocorre uma insuficiência cardíaca. O diagnóstico precoce é a chave para poder realizar um tratamento eficaz com o menor risco para o paciente. A detecção desses parasitas em cães é realizada mediante um exame de sangue, em que se encontram as larvas ou os antígenos dos vermes adultos mediante testes serológicos rápidos. Esta é uma doença complexa e a sua prevenção depende muito do lugar onde vives, por tanto conversa com o teu veterinário para que te indique qual é o protocolo indicado para cuidar melhor do teu animal de estimação.

« Anterior

Gravidez e Toxoplasmose

Como dar banho a um cachorro

Seguinte »

Deixe um comentário

¿Necesitas hacer una consulta veterinaria? Recuerda que tu veterinario de confianza es siempre el mejor profesional para ayudarte con la salud y el cuidado de tu mascota. Mas, da Tiendanimal , queremos sempre oferecer o melhor e, para isso, temos uma equipe de especialistas que o aconselharão através do Serviço de Consulta Veterinária em nosso site.