Como atuar perante uma conduta de exploração do cachorro

Como atuar perante uma conduta de exploração do cachorro

Para o cão é muito importante conhecer o entorno que o rodeia, esta conduta de exploração inicia-se na terceira semana de vida do cachorro aumentando-a na fase de socialização, entre a quarta e a duodécima semana de vida.

Para o cão é muito importante conhecer o que lhe rodeia, esta conduta de exploração inicia-se na terceira semana de vida do cachorro aumenta-a na fase de socialização (entre a quarta e a duodécima semana de vida). É fundamental que observemos como atuam as mães caninas com os seus cachorros quando estes iniciam os seus movimentos exploratórios: uma mãe canina fará uma vigilância efetiva das ações dos cachorros sem cortar os seus avances na exploração do entorno.

Por tanto, devemos comportar-nos de forma análoga com os nossos cães para que possam explorar o seu entorno sob uma tutela coerente que evite os extremos: deixá-lo à vontade aconteça o que acontecer ou sobre protegê-lo de forma que o cachorro não sofra nenhuma má-experiência.

O que devemos fazer?

Basicamente seguir a norma de não dar muita importância ao que aconteça ao cão:

  • Se o cachorro cai, não devemos consolá-lo e nem mimá-lo. A sua queda castigar-lhe-á num grau que ele próprio entenderá.
  • Se ultrapassa alguma dificuldade do entorno (ex. abrir uma porta), não devemos elogiar demasiado (não devemos fazer uma grande festa). Os seus avanços satisfazem o seu instinto exploratório, num grau que ele percebe. Portanto, muitas fazes podemos estar a felicitar muito o nosso pequeno, sem nos apercebermos, por algo que lhe resultou fácil.
  • Se o cachorro explora lugares proibidos ou potencialmente perigosos, devemos agarrá-lo (sem castigar-lhe) e, como faria a sua mãe, levá-lo para uma zona segura. É importante aplicar o sentido comum para determinar o que é «perigoso», já que é muito fácil cair na sobre proteção.

A base da autonomia do cachorro e posterior autoconfiança do cão está no prazer que lhe supõe a exploração. Se esse prazer for substituído pelo de agradar o seu guia, através da sobre proteção, diminuiremos a autonomia do cachorro e tornar-se-á um futuro cão dependente e inseguro.

Atuas assim com o teu cachorro?

Deixe um comentário