Como devem conhecer-se os cães de forma segura

Como devem conhecer-se os cães de forma segura

Não te preocupes. É bonzinho com outros cães”. É uma frase que costumam dizer muitos donos, mas se esquecem de que, porque um cão se comporte bem com outros cães não significa que o faça com todos os cães.

Em ocasiões, o caráter de um cão pode não dar certo com o de outro (assim como acontece connosco) e se quisermos que se conheçam e possam dar juntos um passeio ou brincar, devemos ter presentes umas preocupações por segurança:

1. Evitar o contato visual direto entre os cães

Dois cães que já se conhecem podem aproximar-se cara a cara, mas para dois cães desconhecidos isto normalmente é um sinal de ameaça. Para evitar isto, podes fazer com que um caminhe na frente do outro para que possa farejá-lo e vice-versa.

2. Passear os cães juntos

É melhor levar os cães a caminhar juntos de forma paralela com os humanos entre eles. Desta forma dás tempo para que se conheçam sem ter uma interação direta. Deve-se recompensar a calma dos cães, observar a sua linguagem corporal e distrai-los se houver alguma tensão.

3. Evitar a tensão

É importante que os donos/guias não transmitam tensão aos cães. As trelas devem ir soltas com uma postura corporal relaxada. Se for necessário, distrair os cães a falar ou com um brinquedo.

4. Deixar que os cães brinquem em uma zona controlada

Uma vez que os cães tenham caminhado um pouco, tenham se cheirado entre eles e gastado um pouco de energia, podem deixar que brinquem um pouco em uma zona controlada. Se, por parte dos seus donos/guias, não há segurança, é melhor combinar outro dia e dar outro passeio. É melhor não forçar as situações.

5. Parar a brincadeira antes de que fique intensa demais

É normal que durante a brincadeira os cães demostrem uma alta emoção. Mas, para dois cães que se estão a conhecer, é melhor distrai-los de tempos em tempos durante a brincadeira, chamá-los e premiá-los, para que se tranquilizem antes de prosseguir até que se sintam mais confortáveis um com o outro.

Devem-se ter em conta estas preocupações quando queremos que dois cães se conheçam e possam, no futuro, caminhar e brincar juntos. Quais outras considerações acreditas que deveríamos tem em conta?

Ricardo Antón. Educador canino.

Deixe um comentário