Hipotermia nos répteis: o que fazer?

Hipotermia nos répteis: o que fazer?

Hipotermia nos répteis: o que fazer perante esta emergência?

Uma das características dos répteis é que todos eles são ectotérmicos, desde uma pequena osga ou uma grande iguana, passando por serpentes e tartarugas. Isto significa que não são capazes de produzir calor para manter a temperatura do seu corpo constante, tal como fazem os mamíferos e as aves. Também não têm mecanismos para evitarem que o seu calor se dissipe, pelo que arrefecem rapidamente se a temperatura ambiental é muito baixa. No estado natural eles aquecem-se ficando ao sol e arrefecem na sombra ou tomando um banho, segundo o ambiente onde estejam a viver. Quando vivem num terrário precisam de um gradiente térmico, quer dizer, uma zona do terrário deve ser mais cálida e a outra mais fresca, dentro do intervalo de temperaturas adequada à espécie.

Se a temperatura do terrário é demasiado baixa, o animal começa a apresentar sintomas de hipotermia. No geral, torna-se mais escuro, quase não se mexe, reage debilmente quando o estás a tocar ou a levantar e perde sensibilidade. Os primeiros sinais de hipotermia são falta de apetite, constipação e letargia. Além disso, o corpo sente-se frio ao tato. Nestas condições as funções vitais do animal rapidamente começam a entrar num estado de torpor que pode levá-lo à morte.

O mais importante que deves recordar é que se alguma vez encontrares o teu réptil nestas condições deves aumentar a sua temperatura lentamente. Não é conveniente colocá-lo diretamente na temperatura mais alta, já que os tecidos podem sofrer danos pela mudança tão brusca. O recomendável é submergi-lo num banho de água a 21ºC aproximadamente (ou um pouco mais quente que o seu corpo), cuidando que a cabeça fique fora da água (recorda que não pode mover-se como normalmente neste momento). Depois de 20 a 30 minutos, retira-o e seca-o muito bem. Depois cobre-o com uma toalha seca morna e deixa-o dentro do terrário com a temperatura mais baixa do intervalo adequado. A cada hora aumenta a temperatura ambiente até chegar ao ponto mais alto do intervalo. Quando tenha estado aproximadamente uma hora nesta temperatura, tenta dar-lhe um pouco de água a temperatura ambiente para beber com uma seringa. Pode que no início esteja muito fraco para engolir, pelo que lhe deves dar tempo e não encher a sua boca porque poderia aspirar água e afogar-se.

No geral, os répteis recuperam-se bem e começam a comer normalmente depois de 24 horas, embora possam demorar um pouco mais se ficam muito estressados.

A hipotermia é um problema muito grave que pode prevenir-se facilmente. Deves equipar o terrário com as fontes de calor necessárias e um ou dois termómetros para conheceres sempre a temperatura. Existem muitos, mais ou menos sofisticados, e podes também usar um termostato para criares um sistema automático e regulares a temperatura. Se os cortes de energia são frequentes onde estás a viver, procura uma fonte de calor que tenha uma bateria e assim continuar a funcionar por umas horas até se restabelecer o abastecimento eléctrico. Se não, podes usar um saco de água quente ou uma garrafa de plástico cheia com água morna, mas oculta debaixo de uma toalha para que o animal não a parta com os dentes ou as unhas.

Dra. Isabel Iglesias

 

Deixe um comentário