Como educar um gato

Como educar um gato

Antes de explicar os pontos básicos de como educar um gato, é conveniente esclarecer que, mesmo que pareça óbvio, não sempre é tido em conta: um gato não é um cão pequeno.

Não pretendas ensinar ao teu gato a se sentar, deitar-se ou dar-te a patinha para receber um biscoito. Não fiques ofendido se não acode a receber-te quando chegas a casa; a maioria dos felinos o faz, pois realmente estão felizes de te ver, mas outros seguirão a descansar ou comer, ou a realizar a atividade na qual estavam e serás quem vá cumprimentá-los. Isto não significa que não te ame, apenas que estava ocupado em algo importante. Alguns gatos adoram receber carícias e podem passar horas no teu colo, mas também há outros que apenas te deixarão tocá-los durante alguns minutos e logo retirar-se-ão. Não insistas, pois de algum modo vai demostrar que quer que o deixes tranquilo até a seguinte sessão de mimos.

Saber como educar um gato consiste em conseguir que faça as suas necessidades na caixa de areia, que afie as unhas no arranhador e não nos móveis ou no teu aparelho de som. Alguns gatos aprendem a usar a sanita, mas isto não é para todos e não podes forçá-lo. Também podes ensinar a não subir na mesa da cozinha ou nas cortinas.

A maneira de aprender de um gato é por experiência. Ele não tem interesse em cumprir com as tuas ordens para fazer-te feliz. Se uma experiência for boa, tentará repeti-la, mas se for ruim ou desagradável a evitará no futuro. A chave para saber como educar um gato é conseguir que se sinta muito a vontade cada vez que fizer o que tu desejas e, pelo contrário, que associe com algo desagradável as ações que não são boas.

Muitas vezes fazemos tudo ao contrário sem nos apercebermos. Por exemplo, o gatinho acorda durante a noite (o que não é nada bom!), e tu fazes o quê? Levantas-te e lhe ofereces leite ou comida ou o deixas sair. O que aprendeu? Que acordar-te tem prémio e com certeza o fará novamente. Outro exemplo é quando te apercebes que urinou no tapete, o chamas e quando chega o apanhas com rudeza, o reprendes e o levas aborrecido até a sua caixa. Qual é a lição? Não acudas quando te chamarem porque gritarão e levar-te-ão àquela horrível caixa para te torturar. Como percebes todo o contrário daquilo que querias.

Como educar um gato de forma adequada e efetiva

Não o castigues

Para corrigir um mau comportamento ou educar um gato começa por suprimir as repreensões e castigos. Dedica um momento por dia para brincar ou acariciar ao teu bichano; interage com ele da maneira de que ele mais gosta. Isto faz com que se sinta bem e não faça diabruras para chamar a tua atenção. Além do mais, assim não ficará entediado e não realizará brincadeiras inadequadas que acabem por estragar algum enfeite da casa.

Prémios

O outro ponto chave de como educar um gato é premiá-lo cada vez que fizer algo correto. Para isto o melhor é criar um ambiente ou a situação para que ele faça o que tu desejas. Por exemplo, dá-lhe de comer sempre à mesma hora para que possas antecipar quando vai precisar defecar; um momento antes fica com ele no quarto onde está a sua bandeja sanitária e espera até que a utilize (se ele não gostar de que fiques a olhar, faz outra coisa enquanto esperas), para logo enchê-lo de carícias, dá-lhe algo saboroso ou algum brinquedo se ele gostar.

Para educar um gato de forma efetiva podes fazer o mesmo quando acaba de acordar até que urina. Outra maneira de conseguir que goste da caixa de areia é levá-lo até ela e acariciá-lo ou brincar com os teus dedos com as pedrinhas absorventes, que sempre devem estar limpas. No caso de que queiras que use um poste arranhador deverás colocar uma recompensa no poste: pode ser um pouco de erva gateira ou umas gotas de óleo com sabor a peixe. Também podes colocar o poste perto de ti e acariciá-lo cada vez que ele o utilizar.

Cria experiências desagradáveis

O terceiro ponto de como educar um gato é ter a certeza de que as ações inadequadas sejam experiências desagradáveis. Aqui o exemplo mais claro é o arranhar sobre móveis. Deves usar o teu poder de observação e a paciência para determinar do que é que NÃO gostas. Alguns gatos detestam que as suas unhas fiquem enganchadas enquanto as afiam, então podes cobrir o móvel em questão com tule ou uma rede; podes buscar odores desagradáveis, como pimenta, menta, repelente de insetos (não venenosos) ou colocar uma fita adesiva de duas fases para que as suas patinhas fiquem grudentas, isso às vezes tem bons resultados. Outra coisa que costuma ser efetiva para educar um gato para que não arranhe onde não deve é buscar alguma textura que seja desagradável, como o plástico, o papel de alumínio ou o papel de lixa.

Se estiveres em casa podes observar, sem que ele se aperceba, são muito úteis as pistolas de água para crianças ou alguma buzina forte que seja desagradável para ele; quando o encontrares a fazer algo que não deve as acionas para assustá-lo, mas sem que veja que foste tu, pois não vai aprender a fazer estas coisas quando tu não estiveres perto. Aqui deves experimentar, pois o que pode ser muito efetivo para um gato, pode não sê-lo para outros.

Há também produtos específicos para educar um gato com o fim de que não arranhe móveis, como aerossóis repelentes ou um inovador spray automático que se ativa quando detecta movimentos (por exemplo quando o gato sobe no sofá ou na bancada) e deita uma nuvem de spray inofensivo que o afasta. Também há elementos dissuasivos similares para o cuidado das plantas no jardim. Se colocares em prática estes conselhos e uma boa cota de astúcia, logo o teu gato perceberá de que arranhar móveis é desagradável e que, pelo contrário, recebe recompensas cada vez que usa o seu poste e aprenderá a lição.

Depois de ter explicado como educar um gato, cabe destacar um comentário. O principal motivo pelo qual um gato não usa a sua bandeja sanitária é porque, pelo menos para ele, está suja. Isto inclui uma mudança no material absorvente que não seja do seu agrado ou uma mudança no sítio onde se encontra a bandeja. Outro motivo menos frequente é que o faça como resposta ante algo que lhe gere stress, como um integrante novo na família, a ausência de alguém da casa, algum ruído desconfortável, um gato novo na vizinhança, etc. Por último, alguma doença nas vias urinárias também pode provocar desordem nos hábitos de higiene. Se o teu gato de repente deixa de usar a sua bandeja analisa todas estas possibilidades e, se for necessário, consulta com o teu veterinário antes de iniciar com sessões de adestramento.

Deixe um comentário