Periquito-monge

Periquito-monge

Se eres um amante das aves e quiseres saber sobre o periquito-monge, este post será do teu interesse.  Recorda que o conhecimento resulta fundamental para entender o comportamento dos animais e assim proporcionar-lhes os cuidados oportunos.

1. Caraterísticas gerais do periquito-monge.

O nome científico do periquito-monge é Myiopsitta Monachus. Pertence à família dos Psitácidos, pode medir até 30 cm e pesar umas 150 gramas. Em cativeiro, a sua esperança de vida é de uns 25-30 anos, enquanto que em estado selvagem a média atinge apenas os 10 anos. São aves amigáveis e muito adaptáveis, faladeiras e fáceis de domesticar, mas também são muito destruidoras e ruidosas. São sociáveis com outras espécies e se instalam facilmente encontrando a maneira de subsistir.

A sua dieta baseia-se principalmente em frutas, verduras frescas, forragens, bagas, insetos, ervas e brotos. Em cativeiro comem legumes, carne seca, milho, trigo e alimentos especialmente formulados para o periquito-monge, que contêm todos os nutrientes que encontrariam se estivessem em estado selvagem. Têm uma plumagem na cor verde azulado, amarelo e branco que cobre todo o corpo, os exemplares mais jovens diferenciam-se por ter o peito e os olhos cinzentos.

2. Da onde vem o periquito-monge?

O seu habitat natural encontra-se na Argentina, Bolívia central e o sul do Brasil. Atualmente existem grupos estáveis em Espanha, principalmente em Barcelona e na costa de Andaluzia, também foram vistas colónias no norte de Holanda e nos Estados Unidos. Os primeiros periquitos-monge que chegaram à Espanha foi no final dos anos 60, como ave exótica, foram vendidas e logo liberadas irresponsavelmente pelos seus donos devido à natureza ruidosa destas aves. Ao não ter aqui uma espécie depredadora têm uma alta taxa de reprodução, e por tanto poderiam tornar-se uma praga já que podem dobrar o seu número em 5 anos.

3. Como se reproduzem os periquitos-monge?

Os casais são para a vida toda e a época reprodutiva é de Agosto a Novembro. Põem de 4 a 8 ovos, a incubação dura de 26 a 28 dias e aos 44 dias de vida os pintainhos já podem abandonar o ninho. Em liberdade, o periquito-monge constrói ninhos de forma alongada com uma entrada larga e duas câmaras: uma externa, onde se encontram os progenitores e uma interna para por os ovos e onde permanecem as crias durante as primeiras semanas de vida. As fêmeas encarregam-se de fazer o ninho com ramas entrelaçadas e se ocupam também da limpeza, da ampliação do ninho cada ano e da incubação dos ovos.

4. Gaiolas para periquito-monge

O periquito-monge tem o bico muito forte e é bastante destrutivo, por tanto a gaiola e os comedouros devem estar construídos com materiais resistentes e pesados para que não os estraguem e assim evitar que os acabem por utilizar como brinquedos. Comercializam-se muitos acessórios especiais para periquitos-monge que servem tanto para a decoração das jaulas, como para o entretenimento destas fabulosas aves. É possível hospedá-lo tanto em gaiolas como em viveiros, mas para reproduzir-se precisam de uma gaiola com abundante matagal.

Os periquitos-monge são aves espetaculares pelas suas belas cores e a sua capacidade de reproduzir sons, mas para os criadores inexperiente podem virar um pesadelo pela sua natureza ruidosa e destrutora.  Se tiveres uma destas aves como animal de estimação, mas não consegues cuidar dela, desde TiendAnimal recomendamos-te que contates com uma associação protetora de animais, já que a liberação descontrolada do periquito-monge pode provocar danos tanto no ecossistema como no próprio animal.

Deixe um comentário