Mitos sobre os gatos

Mitos sobre os gatos

Há muitos mal-entendidos com relação aos gatos. Alguns mitos têm sido transmitidos de boca em boa sem ter fundamento algum. Vamos tentar desvelar alguns dos mais comuns.

Mito: Os gatos sempre caem sobre as suas patas

Realidade: ainda que os gatos tenham uma grande elasticidade e façam giros extraordinários no ar para cair sobre as suas patas, nem sempre o conseguem. Quando caem de grandes alturas esta habilidade os ajuda a não magoar-se, mas muitas vezes sofrem fraturas ou golpes muito fortes que podem comprometer a sua vida, por tanto este mito sobre os gatos não é completamente verdadeiro.

Mito: Os gatos têm muito equilíbrio e não se caem

Realidade: é verdade que os gatos caminham a grandes alturas por beiras bem pequenas com grande facilidade, mas o certo é que muitas vezes caem. A sua curiosidade os faz dispersar-se e perder o equilíbrio. Se o teu gato tem acesso ao terraço é conveniente colocar alguma grade para protegê-lo, igual às das crianças.

Mito: Os gatos têm que tomar leite todos os dias

Realidade: apesar da grande maioria dos gatos gostar do leite, não precisam tomá-lo todos os dias se estiverem bem alimentados. Muitos gatos adultos não o toleram bem e podem sofrer diarreia se tomam em excesso. Os alimentos comerciais de boa qualidade já têm todos os nutrientes que um gato precisa e não é necessário adicionar nada além da água, por tanto este mito sobre os gatos é completamente falso. Isto não quer dizer que não possas dar-lhe nada extra, sempre que o teu veterinário o autorizar.

Mito: Os gatos e gatas castrados sempre engordam

Realidade: um dos mitos sobre os gatos mais estendido. É verdade que muitos tendem a ganhar peso depois da esterilização, mas isto não acontece em todos os casos. Tem em conta que normalmente são operados entre os 6 meses e um ano, que é quando viram adultos. Nesta etapa a quantidade de alimento que precisam é menor e, além disso, tendem a ficar mais sedentários. Se não quiseres que o teu gato engorde procura que coma apenas o recomendado para o seu peso e idade e que se exercite o suficiente para estar saudável.

Mito: Os gatos não contraem raiva

Realidade: Os gatos podem ter raiva sim, assim como os cães, furões, morcegos e quase qualquer outro animal de sangue quente, por tanto este mito sobre os gatos também é falso. É por isso que deves vaciná-lo regularmente contra a raiva, seguindo as indicações do teu veterinário. Mesmo que a raiva seja uma doença muito pouco frequente no âmbito doméstico da atualidade, é necessário vaciná-los. O risco ao não fazê-lo é enorme, e qualquer animal ou pessoa que contraia esta doença enfrenta uma morte certa, já que não existe tratamento conhecido uma vez que se manifesta.

Mito: os gatos que vivem dentro de um apartamento não adoecem

Realidade: Ainda que estejam muito menos expostos que aqueles que vivem no exterior, este mito sobre os gato é falso, pois não estão isentos de contrair uma doença. Existem vários vírus que provocam doenças respiratórias que podem ser transportados pelo ar ou na tua roupa. Além disso, não te esqueças de que os gatos de rua podem ter acesso à tua janela, varanda ou terraço e deixar microrganismos infecciosos, assim como matéria fecal com parasitas.

Mito: As tênias contraem-se ao comer alimento em mal estado

Realidade: Os gatos geralmente contraem tênias (um tipo de parasita intestinal) por engolir pulgas ao rascar-se com os dentes. Também podem adquiri-las ao comer um rato infectado com elas.

Mito: Se der alho na comida não terá parasitas

Realidade: Este mito sobre os gatos é verdadeiro em certa medida. Existem tratamentos naturais com alho para os parasitas, mas são feitos com doses determinadas e por uma quantidade de dias determinados. Há infecções com parasitas muito severas que precisam um tratamento mais específico. O mais efetivo é usar os desparasitantes que o teu veterinário te recomendar segundo o tipo de parasitas que o gato tiver.

Mito: As mulheres grávidas não devem ter gatos

Realidade: Alguns gatos podem ser portadores de uma doença chamada toxoplasmose, que ocasionalmente é transmitida aos humanos através da matéria fecal e pode causar problemas sérios nos bebés em gestação. É um dos mitos sobre os gatos mais estendido. Porém, é fácil saber se um gato tem ou não a doença, e no caso de tê-la a transmissão pode ser prevenida ao tomar algumas simples medidas de higiene, como delegar a outras pessoas a limpeza da bandeja sanitária.

Mito: Se um gato perde os seus bigodes não pode manter o equilíbrio

Realidade: Os bigodes têm uma função sensorial importante, mas de maneira alguma afetam o equilíbrio.

Mito: Os animais curam as suas feridas ao lamber-se

Realidade: A língua do gato é áspera e quando se lambe excessivamente pode causar escoriação na pele. O lambido demasiado meticuloso de uma ferida pode até mesmo retardar a cicatrização. Além disso, a boca dos animais é uma fonte de bactérias que pode causar infecções. Então este é outro dos mitos sobre os gatos erróneo.

De certeza existem mais ditados sobre os gatos que vais querer saber se são certos ou não. O mais aconselhável é consultar com o teu veterinário para que te explique e assim possas dar-lhe os melhores cuidados ao teu gatinho.

 

 

Deixe um comentário